sábado, 21 de abril de 2012

• PaaS – Plataforma como serviço: Utilizamos este termo para definir o uso de recursos de plataforma na nuvem. Quando pensamos em plataforma, lembramos do que usamos comumente em nossos ambientes. Servidores web, active directory, servidores SQL. O consumo desse tipo de serviço caracteriza o PaaS;
• IaaS – Infraestrutura como serviço: Utilizamos este termo para definir o uso de percentuais, ou “pedaços” de servidores hospedados que tenham a capacidade de responder a uma necessidade específica da corporação, em termos de processamento e recursos;
• SaaS – Software como serviço: Talvez o modelo mais conhecido de todos, o SaaS pode ser definido como o modelo que permite o uso de um determinado software sem a necessidade de adquirir, como estamos acostumados. Seria como “alugar” a utilização de um determinado software ao invés de comprar sua licença. Você paga, usa, e se não quiser mais ele, basta rescindir o contrato. Um bom exemplo é o pacote Office 365 da Microsoft ou o GoogleApps, da Google, onde você pode “alugar” caixas postais, criar portais corporativos, dentre outras possibilidades, sem investimento em infraestrutura e sem compra direta de software ou hardware. Um outro bom exemplo é o de utilizar o Exchange na nuvem como servidor de correio (Microsoft), tendo acesso à todos os recursos que o mesmo provê, sem precisar comprar o produto ou montar uma estrutura interna para usar o serviço. Você utiliza o serviço que a Microsoft fornece.